Se está frio é porque não está calor

“Há algo de podre no Reino da Dinamarca!”, disse Shakespeare no início do século XVII, quando teclava Hamlet no seu Macbook (Bom?!, Talvez não tenha sido exatamente assim! Mas isso não interessa para nada!!).

Passados 400 anos, parece que as podridões dinamarquesas foram devidamente atendidas e remediadas, com a Dinamarca a liderar o ranking dos países menos corruptos do mundo.

Há que perdoar a Shakespeare a caducidade da expressão. Porém, se Shakespeare tivesse a capacidade de prever o futuro, poderia ter escrito qualquer coisa como: “Há algo de podre na República dos EUA!” É certo que ainda faltariam quase dois séculos para a fundação da nação e quatro séculos para a eleição de Trump, mas ninguém poderia negar que teria sido uma (pre)visão do caraças, ainda que óbvia, nos nossos dias.

É claro que todos nós já nos habituámos à trumpalhices do presidente dos EUA, mas ainda ontem, Trump, face à onda de frio que se faz sentir em algumas regiões do país a que preside, escreveu o seguinte Tweet:

 “No belo Midwest, as temperaturas geladas chegam aos 50 graus negativo, as mais baixas alguma vez registadas. Nos próximos dias espera-se ainda mais frio. As pessoas não conseguem ficar no exterior, nem mesmo por poucos minutos. Que raio se passa com o aquecimento global? Por favor volta, precisamos de ti!”

Para Trump o que conta é apenas a sua perceção imediata e subjetiva do real. Trump, parece ser incapaz de compreender que os processos subjacentes às mudanças climáticas globais, não são lineares e com o sentido do aumento das temperaturas. A Trump, a compreensão do comportamento de um sistema fisco não-linear está vedada, ainda que seja apenas uma compreensão qualitativa. Para Trump, o mundo explica-se facilmente através das proporcionalidades direta e inversa que provavelmente aprendeu no equivalente ao 6.º ano do ensino básico em Portugal. Mas, se o presidente mostra dificuldades em compreender isto, também não esconde os seus apuros em compreender os processos inerentes à construção do conhecimento científico. Infelizmente, a sua incapacidade intelectual e propensão ao senso-comum já se manifestou noutros domínios da ciência. Há já algum tempo, Trump manifestou na mesma rede social, a sua compreensão (apoio dissimulado, seria mais adequado) ao movimento anti-vacinas, que encontrou na população americana um bom meio de incubação e proliferação.

É caso para dizer em bom americano: What an asshole!

¯\_(ツ)_/¯

2 thoughts on “Se está frio é porque não está calor

  1. Não, Orlando, o problema não é a literacia científica do presidente Donald J. Trump – que, como sabemos, é de fazer inveja a muitos Nobeis. Não!

    O que se passa é que, entusiasmado pelas aulas de Ciências desde muito novo, o puto que haveria um dia (para nosso absoluto descontentamento) de ser Presidente dos EU não esteve com atenção nas aulas de Inglês. Caso o tivesse feito, saberia distinguir entre “tempo” e “clima”.

    Portanto, tudo se resume a uma confusão semântica! Não batam mais no pobre do homem!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s