AUTOMATICA – Robot Vs. Music, de Nigel Stanford

E já está. O novo álbum de Nigel Stanford, Automatica – Robot Vs. Music, saiu a semana passada. Bem no estilo eletrónica/alternativa dos seus álbuns anteriores, Nigel premeia-nos com AUTOMATICA, a música de abertura, que dá o nome ao álbum, cheia de energia e criatividade, tocada por braços robotizados.  A faixa prossegue e, ao dissipar a fronteira entre o humano e o tecnológico, acaba por revelar um músico humano que é também ciborgue.

O álbum possui 12 faixas:

1.     Automatica (3:57)

2.     One Hundred Hunters (3:38)

3.     If I Go Down (Then You’ll Go Down Too) – 3:16

4.     Everything Changed – 4:36

5.     Icarus (Automatic Mix) – 7:04

6.     Gravity Waves – 5:25

7.     Talk To Your Lover – 5:10

8.     Dead Pixels in The Sky – 4:31

9.     Stay with Me Tonight – 4:09

10.  The Sixth Axis – 5:18

11.  Cymatics (Automatic Mix) – 4:53

12.  Win It Up – 4:15

A destacar: Automatica, a primeira fixa, que não só deu o nome ao álbum, como é um som fantástico, envolvente e que te põe a bater o pé ao som do ritmo; a nova versão de Cymatics, que faz parte do álbum Solar Echoes, resultou num dos videoclips amais bem conseguidos de sempre. Nesta versão o cantor de Hip Hop Noah Caine empresta a sua voz e funde o tema anterior com Automatica, o mote deste álbum, sem lhe retirar as características que, na minha opinião, a tornam numa das melhores criações de Nigel. Mas esta não é a única faixa onde entram cantores convidados. Para vocalizar as faixas 3, 7 e 9, Nigel convidou a cantora Catey Shaw, para a faixa 4, Dallin Applebaum e para vocalizar Icarus (faixa 5) a cantora Elizaveta. Curiosamente, esta participação parece dar um cunho mais POP ao álbum, o que não é necessariamente mau.

No dia 11 de fevereiro de 2016, a LIGO, anunciou que, no dia 14 de Setembro de 2015, havia detetado as ondas gravitacionais, previstas pela Teoria Geral da relatividade, publicada cem anos antes, em 1915, por Albert Einstein. Este importante acontecimento no contexto da física não poderia passar despercebido a Nigel que acabou por atribuir o nome de Gravitational Waves à faixa 6 (inteiramente instrumental) do seu novo álbum. Mais uma vez Nigel deixa transparecer a importância que o conhecimento científico, em particular a Física, tem na sua atividade criativa. Importância essa bem patente em todos os videoclips produzidos pelo autor e na banda sonora para o filme Time Scapes, de Tom Lowe (2012).

Mas chega de conversa… é música! O melhor é ouvir!

Automatica em https://nigelstanford.com/Automatica/

Nigel Stanford em https://nigelstanford.com

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s